The Assassination of Gianni Versace: Por que o foco foi Andrew Cunanan?

por Karen Meira


A segunda temporada de “American Crime Story” estreou na Netflix no dia 17 de janeiro e trouxe como tema um dos crimes de maior destaque na mídia do mundo até hoje, “The Assassination of Gianni Versace” traz mais do que a história de um crime mas nos apresenta Andrew Cunanan, um sociopata que antes de Gianni Versace matou mais quatro pessoas. É interessante pra quem curte produções em que é possivel adentrar na mente de um psicopata. Com personalidade narcista, e dificuldade de aceitar a própria realidade, Andrew Cunanan é a maior “estrela” desta temporada.

Un vistazo a “The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story” | Grazia México

Sem paciência para começar de baixo como todo mundo, e mesmo com potêncial para crescer na vida, o jovem inteligente e bonito Andrew Cunanan sempre buscou os meios mais fáceis e rápidos de ganhar dinheiro e assim se tornar um membro da elite, que sempre foi seu objetivo. Ao longo de todo o desenvolvimento da série, Versace é várias vezes citado pelo serial killer, seja como personagem de suas mentiras ou para mostrar sua “admiração” pela celebridade, dai então podemos entender de onde surgiu a obsessão pelo estilista.

Andrew buscava estudar somente sobre coisas que ajudavam em suas mentiras, sabia tudo sobre paises turisticos, marcas e personalidades da elite. Vivia numa vida imaginária que ele próprio inventou como desculpa de fuga de seus demônios interiores, e idealizou isso até na pessoa que dizia ser o amor de sua vida mesmo nunca tendo um relacionamento de verdade com o mesmo. Tinha uma lábia perfeita mas caia em contradição ao exagerar em suas histórias que sempre continham viagens, glamour e ostentação, mas sempre agia de forma sinica pois precisava sempre ser o centro das atenções.

Resultado de imagem para andrew cunanan darren criss

Bizarro tambem notar a transformação de Andrew, somos apresentados a um serial killer frio e bizarro que se diverte com seus feitos e acredita ter ganho a atenção que merecia com os crimes praticados, mas conforme voltamos a sua origem percebemos que antes era um jovem narcisita mas que por ter passado por uma decepção familiar muito grande se tornou cada vez mais insénvivel e determinado a conseguir o que queria. Nunca se contentava com o que tinha e sempre estava disposto a conseguir mais sem se importar com os obstáculos.

A série introduz tramas paralelas, mais especificamente de personagens do passado de Andrew e Versace, mas tudo faz parte do contexto para que a história faça sentido, mesmo que Versace seja a grande estrela do título, o caso de seu assassinato foi apenas o final de uma vida curta mas com muitos crimes de Andrew Cunanan. Durante seu desenvolvimento conhecemos todas as vítimas de Andrew a fundo, para chegarmos ao que de fato o motivou a praticar ntamanhas atrocidades, ou seja, sabemos a versão de ambos, vítimas e assassino. Em relação a parte técnica é válido ressaltar o quanto a produção se preocupou em trazer a característica da grife Versace em muita das cenas, uma fotografia com cores vibrantes entram em contraste com a trama.

Un vistazo a “The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story” | Grazia México

Versace e Donatella são os protagonistas do outro lado da trama, mesmo que os fatos não tenham sido confirmados pela familia, também conhecemos a origem de Versace e todo o resultado de seu talento unico, recheado com muitos momentos de conflito com a irmã que não se da bem com seu parceiro de 15 anos e por ser mais sensata em relação ao financeiro da grife, uma vez que Versace sempre se deixa levar pela emoção. Mesmo assim os dois possuem uma ligação muito forte e os momentos pós falecimento do estilista são de grande sensibilidade, a atriz Penélope Cruz soube expor de forma brilhante a personalidade reservada e forte da de Donatella. De fato Versace também era muito amado, seja por sua equipe, família e ainda mais pelo público que via nele um exemplo de representatividade e inovação.

Imagem relacionada

Relacionado a tudo isso conseguimos levantar o que o movimento LGBT enfrentava nos anos 90, o tabu que era o virús HIV, contaminando cada vez mais a população e com cada vez menos pontecial de cura . A policia, responsável pela tardia captura do serial killer que mesmo depois de 4 mortes pôde viver tranquilamente entre varias cidades até chegar a miami e realizar seu ultimo crime, e só então ganhou maior notoriedade por se tratar de uma personalidade famosa e obter cada uma maior pressão da midia.

Enfim, é necessário destacar o talento de Darren Criss, o ator pôde brilhar ao brincar com a personalidade sociopata de Cunanan, e mostrar um personagem gentil mas com uma mente pertubada que mostrava vunerelabididade quando perto de pessoas poderosas e ricas. Mesmo que a curiosidade de adentrar na vida e trajetória da familia Versace fosse grande, o objetivo da série de analisar um crime e seus efeitos na sociedade se perderia facilmente, caso o principal foco fosse esse. O ator, que era conhecido pelo personagem também homossexual, Blane em Glee, pôde mostrar todo seu potencial ao aparecer em todos os 10 episódios com muito talento e uma atuação de tirar o fôlego, não é a toa que ganhou todos os prêmios em que concorreu, como: Globo de Ouro, Critics Choice Awards e Sag Awards, pelo resultado de sua performance na produção, sendo até então o ápice de sua carreira.

“American Crime Story: The Assassination of the Gianni Versace” está disponível na Netflix. Confira o trailer:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s