Filmografia: Christopher Nolan

Por: Ariel Ayola

Nascido em 1970 em Londres, Inglaterra, Christopher Nolan começou a se interessar por cinema aos 7 anos de idade onde com uma câmera 8 mm começou sua jornada como amante da 7.ª arte. 

Nolan, produziu e dirigiu seu primeiro curta-metragem independente em 1989, intitulado “Tarantella”. Porém, só emplacou com o segundo, chamado “Larceny”, lançado em 1995. Filmado em preto e branco, foi considerado um dos melhores curtas de alunos da UCL — University CollegeLondon — e exibido no Cambridge Film Festival.

Fã declarado de Stanley Kubrick, assumiu considerá-lo “o maior cineasta de todos os tempos” em entrevista ao podcast The Tretament. Com uma trajetória de sucesso, Christopher, claramente gosta de mexer com os mais profundos sentimentos e sentidos do público dos seus filmes. Utilizando de uma estrutura não linear e com diversas possibilidades, onde a imersão do espectador é garantida, conheça agora sua trajetória. 

Following (1998)

Divulgação: Momentum Pictures

O primeiro grande filme de sua carreira, “Following” foi coproduzido, dirigido, escrito e filmado por Nolan. Lançado em setembro de 1998, o longa conta a história de um jovem escritor que segue pessoas pelas ruas de Londres em busca de inspiração. Um dia ele se depara com ladrão audacioso chamado Cobb, que o convence a invadir o apartamento de uma mulher. Intrigado pela história do homem, e com sua vida repleta de adrenalina e perigos, Bill perde o controle sobre sua falta de envolvimento e torna-se parte da história de Cobb.

Estrelado pelos atores, Jeremy Theobald (Bill) e Alex Haw (Cobb), o diretor faz questão de lidar com a paranoia do público que o assiste. 

Amnésia – Memento (2000)

Divulgação: Newmarket Films

Lançado em setembro de 2000, Amnésia é baseado no conto “Memento Mori” de seu irmão Jonathan Nolan. O filme é sobre um homem chamado Leonard Shelby, ele e a esposa são atacados por um ladrão que assassina a mulher, deixando o homem à beira da morte. Porém, ele sobrevive e a partir de então, por conta do atentado, passa a sofrer de amnésia retrograda, o que faz com que ele esqueça por completo qualquer acontecimento poucos instantes antes. Então parte para uma jornada em busca do assassino de sua esposa para poder vingar sua morte.

A película te prende do início ao fim, com uma imersão incrível mostrando a diferença entre enredo e história. Com cenas em preto e branco e coloridas, onde ambas as histórias se encontram no final.

Mostra exatamente a genialidade e o poder de imersão que Nolan coloca em seus filmes. Com Guy Pearce interpretando o protagonista da trama, o filme foi considerado o 173.º Melhor da história do cinema pela revista Empire, em sua lista de “500 Melhores Filmes de Todos os Tempos” e em 2003 apareceu no livro 1001 Films You Must See Before You Die — 1001 filmes que você tem que assistir antes de morrer. 

Insônia (2002)

Divulgação: Warner Bros. Picture/ Buena Vista Internacional

O remake do filme norueguês de 1997 chamado “Insomnia”, foi dirigido por Nolan. Do gênero suspense psicológico, conta com estrelas como o grande Al Pacino e o saudoso Robin Willians.

O enredo conta a história de Will Dommer, um policial que é enviado até uma pequena cidade do Alasca para investigar o assassinato de uma adolescente, acaba atirando acidentalmente em Hap Eckhart (Martin Donovan), seu parceiro, enquanto tentava apreender um suspeito. Consumido pela culpa, Dormmer ganha inesperadamente um álibi, fornecido pela própria polícia, que acaba aumentando ainda mais seu pesar por conta da morte do amigo. Ainda tendo que resolver o caso do assassinato, o oficial passa a ser chantageado por Walter Finch, o suspeito que tentava prender, que o acusa de ter armado a situação para que não fosse condenado pela morte do policial. Enquanto isso, uma detetive local resolve iniciar uma investigação por conta própria para descobrir o que realmente aconteceu entre Dormmer e Eckhart.

Batman Begins (2005)

Divulgação: Warner Bros. Picture

O primeiro filme da famosa trilogia Batman de Nolan, que além de dirigir também foi roteirista do filme. 

O longa conta o início da história do Homem Morcego. O milionário Bruce Wayne traumatizado com a morte repentina e violenta dos pais em Gotham, decide viajar pelo mundo para descobrir um meio de combater as injustiças de sua metrópole e derrotar seus adversários. Após retornar a sua cidade natal, ele idealiza seu alter-ego através de seu medo de morcegos e decide se tornar o Batman. Um justiceiro sombrio que utiliza força, inteligência e um arsenal tecnológico para combater o crime.

Indicado ao Oscar de melhor fotografia em 2006, acumulou mais de 300 milhões de dólares em bilheterias. A interpretação do herói criado pela DC Comics foi por conta do ator Christian Bale.

O diretor também foi responsável pelo roteiro do jogo, inspirado em Batman: Begins. Levando o mesmo nome do filme, o game foi de responsabilidade da EA Games – Eletronic Arts.

O Grande Truque (2006)

Divulgação: Warner Bros. Pictures/ Touchstone Pictures

Dirigido, produzido e roteirizado por Christopher Nolan, O Grande Truque é um dos mais surpreendentes filmes do diretor. Com sua profundidade nas histórias e cenas de seus longas, Nolan dessa vez, faz um filme que se desenrola na Londres do século XIX. O enredo conta a história de dois mágicos ilusionistas, Robert Angier (Hugh Jackman) e Alfred Borden (Christian Bale), que desde que se conheceram no início de suas carreiras competem entre si, o que faz com que a amizade se torne uma grande rivalidade. Quando Alfred apresenta uma mágica revolucionária, Robert tenta de tudo para tentar realiza-la. 

Com um roteiro cheio de viradas e torções, é um deslumbrante filme de época que, como de costume em filmes do diretor, promete desafiar o público.

Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008)

Divulgação: Warner Bros. Pictures

O segundo filme da trilogia Batman de Christopher Nolan, considerado por muitos fãs do universo cinematográfico da DC o melhor do herói com o grande e principal vilão, conta a história após dois anos do surgimento do Batman. Os vilões e criminoso de Gotham City se encontram acuados pelo poder do Homem-Morcego em controlar a criminalidade do local, com isso, decidem contratar Coringa, um bandido louco, aceitando todas as suas propostas para destruir o alter-ego de Bruce Wayne.

O longa atingiu 1 bilhão de dólares em bilheterias, com o sucesso do grande vilão das histórias em quadrinhos do Batman: O Coringa. Interpretado por Heath Ledger, qual deu impecavelmente vida ao personagem, alcançando o Oscar de melhor ator coadjuvante. A película inteira teve no total 9 indicações ao prêmio, ganhando dois, incluindo o de melhor edição de som. Infelizmente Ledger faleceu em 22 de janeiro de 2008, antes da estreia de sua obra prima.

Nolan, mostra mais uma vez seu poder de persuasão psicológica, dessa vez com o Coringa. Mesmo não mostrando sua origem, o diretor implantou o vilão no filme já absoluto, causando grande imersão no público explorando suas maiores loucuras e medos.

A Origem (2010)

Divulgação: Warner Bros. Pictures

Nolan começou a trabalhar no filme em 2001, onde apresentou a ideia para a Warner, porém, decidiu trabalhar e refinar o longa qual o mesmo escreveu, dirigiu e produziu.

Com as grandes características do cineasta, o longa conta a história de um mundo onde é possível entrar na mente humana, mais especificamente em seus sonhos. Cobb, interpretado por Leonardo DiCaprio, é um especialista na arte de roubar segredos valiosos do subconsciente de seres humanos. Fugitivo, está proibido de retornar aos Estados Unidos e assim impedido de ver os filhos, Cobb aceita uma perigosa missão proposta por um empresário japonês: entrar na mente do herdeiro de um império econômico e convence-lo a desmembra-lo.

A obra cinematográfica é extremamente penetrante, com incríveis efeitos especiais, chegou até mesmo a ser comparado com Matrix, teve 8 indicações ao Oscar e ganhou 4.

O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)

Divulgação: Warner Bros. Pictures

Dirigido e produzido por Christopher Nolan, o filme foi roteirizado com a participação de seu irmão Jonathan Nolan é a última parte da trilogia Batman.

Os acontecimentos passados no longa são oito anos após a morte de Harvey Dent – o Duas-Caras – e a cidade de Gotham City esta agora pacificada. A situação faz com que Bruce Wayne se recluse em sua mansão convivendo apenas com seu mordomo Alfred. Em meio a uma festa na mansão Wayne, um colar é roubado, a autora do delito é Selina Kyle (Anne Hathaway) – a Mulher Gato – uma esperta e habilidosa ladra, que mesmo flagrada pelo herói consegue fugir. Em uma atitude curiosa, Bruce volta a sua caverna para investigar mais sobre a moça, e aos poucos começa a descobrir que uma nova ameaça assombra Gotham, personificada no brutamontes Bane. E isso é o suficiente para que Wayne volte a ação como Batman.

A obra arrecadou 1,08 bilhões de dólares, sendo uma das maiores bilheterias do universo cinematográfico da DC – perdendo apenas para o atual filme Aquaman. Esse foi o último filme tendo Christian Bale interpretando o herói Batman.

Interestellar (2014)

Divulgação: Warner Bros. Pictures/ Paramount Pictures

A obra prima e emocionante, Interestellar, é mais uma criação incrível de Christopher Nolan. Com 5 indicações ao Oscar, o qual levou o de Melhor Efeito Visual, é considerado um dos melhores filmes do cineasta, onde ele explora as mais profundas emoções do público.

Estrelado por Matthew McConaughey, a história gira entorno de uma missão espacial. Após perceber que boa parte das reservas naturais da Terra foram consumidos, um grupo de astronautas recebe a missão de verificar possíveis planetas que possam receber a população mundial. Cooper é o líder do grupo e aceita o trabalho mesmo sabendo que pode nunca mais ver os filhos. Ao lado de seus companheiros, ele seguirá em busca de um novo planeta para chamar de lar. Com o passar dos anos sua filha Murph, investirá em um plano próprio para também tentar salvar a Terra.

Assistir a esse filme garante um experiencia linda visualmente e profunda sentimentalmente. Nolan garante muitas lagrimas ao decorrer da ficção cientifica em diversos cenários.

Dunkirk (2017)

Divulgação: Warner Bros. Pictures

O filme que é baseado em fatos reais, se passa nas praias de Dunkirk, na França durante a Segunda Grande Guerra Mundial onde o exército dos aliados foram encurralados durante a invasão alemã ao país. São contadas três histórias diferentes em datas diversas, a primeira se passa no dia da fuga, que a história conta sobre jovens soldados que tentam fugir da morte desesperadamente em navios lotados. A segunda é uma semana antes do escape, mostra dois pilotos que protegem quem está em terra firme, derrubando os aviões inimigos com muita coragem e inteligência. A terceira é de um pai, seu filho e o melhor amigo do garoto, vão para o mar buscar os desesperados que estão fugindo do perigo.

O diretor Christopher Nolan, explora um cenário de guerra de uma maneira completamente diferente, todos dentro da película de alguma maneira estão com medo da morte colocando-se face a face com ela para escapar. O longa não é sobre armas e tiros, é sobre pessoas, e isso é uma característica importante dos filmes de Nolan, ele coloca em suas obras o máximo do sentimento humano, o limite.

As praias de Dunkirk ajudam a produção, magnificas e lindas aos olhos, porém a fotografia da obra cinematográfica de responsabilidade de Christopher prende do início ao fim. A estética ajuda a sentirmos o que acontece em cada cena, nos coloca em frente a beleza de um lugar que está sendo devastado pela guerra e do horror de cada personagem, sentimos suas agonias e desespero em escapar com vida.

A trilha dramática dirigida por Mark Weingarten, Gary Rizzo e Gregg Landaker, que foi vencedora do Oscar, se une as belíssimas e tensas cenas, e casam tão bem que todos os ápices nos levam ao êxtase.  

Para quem não repara em detalhes pode parecer confusa a linha do tempo, pois é mostrado de diferentes modos a tentativa de evasão, do medo de alguns e a coragem de outros, se não ficarmos bem atentos não reparamos a finalidade dessa linha.

O nome dos personagens não aparece muito, não é muito importante, pois a intenção é que nós espectadores sejamos inseridos dentro da película, nos colocarmos no lugar deles como se fossem nós mesmos em retirada de um lugar perigoso. Todos vão se identificar com algum deles, em fuga ou em luta, nos colocam a margem de seus próprios sentimentos em cena.

Essa é a mágica do diretor de 48 anos de idade, que além de dirigir, roteirizou e produziu o longa com o qual arrecadou em sua bilheteria 527,3 milhões de dólares, um dos filmes de maior bilheteria indicado ao Oscar, nos levar para dentro de seus roteiros, e contar histórias humanas, de sentimentos humanos que movem o psicológico de quem assiste e nos aflora junto com cada personagem, e é assim em cada filme que dirige. Segundo o site Deadline, o próximo longa de Christopher Nolan está marcado para 19 de julho de 2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s