Explicando: ‘Black Mirror: Bandersnatch’

por Karen Meira


Nesta sexta-feira (28) a Netflix lançou sua primeira produção interativa, após muito mistério, onde o espectador pode mudar os rumos do personagem principal e assim decidir qual será seu desfecho. Black Mirror, que sempre gerou comentários sobre teorias entre o público foi a série escolhida para ganhar o longa pioneiro nesse tipo de interação em plataformas de streaming.

E Black Mirror nunca foi tão Black Mirror, como história principal temos o programador iniciante Stefan que inicia um jogo baseado no livro ‘Bandersnatch’, nele o jogador escolhe os rumos que o jogo deve seguir, (assim como o filme). Desde o início do filme você toma decisões pequenas como: qual música ele vai ouvir ou que cereal vai comer, a partir daí tudo bem, até você se ver desesperado tentando escolher a opção certa em apenas 10 segundos e que pode mudar totalmente o rumo da trama.

Se você assistiu mais de uma vez para poder descobrir quais eram os outros possíveis finais, vai saber que tem um crítico de jogos em um programa de TV que em todos os finais sempre da sua avaliação e opinião, sua nota varia de acordo com as escolhas que você faz. Ou seja, a produção se trata de um jogo que depende de você pra chegar a pontuação máxima.

Ao todo são 5 finais possíveis, mas os rumos até chegar a eles podem ser totalmente diferentes. Pode ser também que você fique ‘encurralado’ na história e não tenha mais como a trama se desenvolver, então o filme te dá a escolha de recomeçar ou de mudar alguma escolha anterior.

Com tantos rumos diferentes possíveis é normal a demora em chegar a um final aceitável, por isso tire um tempo pra assistir e tomar suas decisões. Aconselho também a não ver spoiler nenhum antes, porque a graça aqui é você conseguir chegar ao melhor desfecho sozinho. Fora que, ao ganhar a pontuação máxima e conseguir finalizar com mais sentido a história, (que parece ser o certo) você ganha uma cena pós crédito que se passa nos dias de hoje, anos depois do acontecimento que se centra o filme.

Passamos por muitos finais e rumos até chegar ao “certo”, ou seja, gostando ou não ‘Black Mirror: Bandersnatch’ foi feito pra que você quebrasse a cabeça, comentasse com os amigos e refletisse sobre o quão disposta a Netflix está para se tornar a plataforma de streaming que mais inova em seus conteúdos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s